Regresso, e nova adição ao formato

Odeio sítios que não são actualizados.

Sobretudo aqueles que fazem questão de expor as datas das últimas actualizações, e acima de tudo aqueles cujo propósito é o de manter visitantes informados. Mais ainda quando se trata do sítio de um qualquer gato pingado, cuja prerrogativa é a de manter o interesse e a expectativa de quem por acaso está interessado na sua obra.

Ausentei-me durante uns bons sete meses, e tal como declarei no início deste blog que não o é, não me vou delongar e fazer disto o meu diário online para explicar porquê. Basta apenas dizer que ao longo da vida não encontramos muitas pessoas que nos complementam verdadeiramente, e que no raro evento de isso acontecer, fazem-se coisas drásticas como mudar de residência para a Alemanha.

Precisamente por ser tão raro, não é invulgar equivocarmo-nos ou mesmo iludirmo-nos, vendo apenas aquilo que desejamos. Foi o que me aconteceu, e vivi uma deveras agradável ilusão nestes últimos meses, conservada pelo gelo que cobriu a Alemanha. Não foi senão quando as chuvas chegaram e desfizeram a neve, que o cheiro a carne podre refrigerada se fez sentir, e o logro se dissipou.

Más analogias, entradas de diário dissimuladas e poesia de pacotilha à parte, vamos agora ao que interessa. Estou de regresso, e não estive completamente embevecido durante este tempo que se passou, pois o sexto volume está terminado e foi já entregue há dois meses. Contudo, a Presença entendeu lançá-lo apenas em Maio, para condizer com a Feira do Livro; um voto de confiança que muito aprecio, mas que em nada ajuda quem está à espera. Por isso, e pelas falsas promessas ao longo do passado ano, as minhas desculpas. Vou tratar de pensar em algo para aguçar o apetite entretanto.

Ah, já me ia esquecendo: a correspondência que tenho recebido ultimamente, além de perguntar pelo próximo volume, tem incluído frequentemente perguntas a respeito daquilo que ando a ler ou a ouvir. No interesse de chamar atenção para artistas que me agradam e no de ter algo mais com que acolchoar as por vezes parcas entradas deste blog, venho por esta forma inaugurar um novo formato, que se segue.

Boas leituras,

Filipe Faria

A ler
The Bonehunters, Steven Erikson
O Príncipe, Maquiavel
The Sinestro Corps War, Geoff Johns

A ouvir
Licht, Faun

This entry was posted in Allaryia. Bookmark the permalink.

Comments are closed.