Recapitulação

Agora que a “contagem não verdadeiramente decrescente” terminou, fica aqui uma galeria da arte do Samuel Santos. Sempre foi um prazer trabalhar com ele e ver Allaryia ganhar vida sob o seu lápis, e estes últimos catorze meses ajudaram-me muito no processo de me embrenhar novamente nas Crónicas enquanto estruturava a trilogia que aí vem.

   
 

 

Por falar em Crónicas, tenho escrito todos os dias, grão a grão, aos poucos e poucos, ainda muito longe do ritmo a que estava acostumado. Posso já ter voltado à minha terra natal, mas ainda estou nos arredores e não me atrevi a regressar ao bairro de nascença. Há também muito para desempacotar, para recapitular de forma elegante o que aconteceu em sete volumes – e há que o fazer sem a ajuda de um certo Escriba, para mais – por isso tenho-me demorado bastante no prólogo. Uma vez feita a transição deste para o primeiro capítulo, e quando tiver feito a devida festa por reencontrar velhos amigos, estou certo de entrarei em velocidade de cruzeiro.

Ah, e antes que me esqueça: a pedido de várias famílias (ou, pelo menos, de alguns membros destas), o RCPalavras irá regressar a estas páginas ainda antes do final do mês.

This entry was posted in Allaryia. Bookmark the permalink.