Allaryia

Uma cara nova

Apresento-vos Dioaed Belyth, a mais nova personagem das Crónicas. Não ia ser mais que um nome referido um par de vezes em pensamentos e conversa, destinado quando muito a ser visto de passagem por outros, ou a ser fonte de preocupação para terceiros. Mas, no decorrer da escrita, ganhou forma, personalidade e a ponta de …

Uma cara nova Ler mais

Um Bom Ano Allaryiano (e não só)

E assim se passa mais um ano. Consegui (em grande parte) a minha anterior resolução de ser mais participativo neste espaço, e o livro, embora longe do meu utópico desejo de o ter já terminado ainda em 2019, será sem dúvida publicado em 2020. Resta saber quando ao certo, até porque se levantou uma possibilidade …

Um Bom Ano Allaryiano (e não só) Ler mais

Ao fim de tantos anos…

…e numa época em que se esperava que as pessoas estivessem empedernidas e dessensibilizadas com tantas guerras de tronos e mortos ambulantes, é bom ver que aquele capítulo d‘Os Filhos do Flagelo continua a causar reacções tão viscerais da parte de novos leitores das Crónicas. Não se preocupem, que, n’A Oitava Era, ainda não morreu …

Ao fim de tantos anos… Ler mais

Progresso

Nove meses depois, A Oitava Era vai bem encaminhada. 60 horas de edição, 60 000 palavras escritas, 11 capítulos de 22 concluídos, e 100 páginas a apresentar (que, em páginas de livro, deverão corresponder a umas 200). O início foi tíbio e periclitante, como não quis que fosse, mas como não poderia ter deixado de …

Progresso Ler mais

Algo velho, algo novo

Quem leu Segredos do Cronoscópio, o pequeno livrinho de segredos da edição de coleccionador do Oblívio, sabe que a história de Aewyre Thoryn e os seus companheiros era para ter sido contada depois de eu escrever as aventuras do pai, Aezrel Thoryn. No entanto, os primeiros evoluíram muito mais e muito mais rapidamente enquanto personagens …

Algo velho, algo novo Ler mais